17.2.14

Do que é invisível

(Fisherman and the sea by blackjack)
 
 
Poderia dizer que só o que é invisível existe. Porém, também há quem diga que o que é invisível existe, sim! Mas pouco. Pergunto! Como pode ser pouco o vento que move as barcas, ou o tempo que esculpe montanhas? Como pode ser pouco o amor que nos desarma, ou a fome que nos consome as entranhas? Como pode? Como pode ser pouca a força de quem se olha com a alma em chamas? Como?


Carlos Roberto


Sem comentários: