3.9.13

Mariposa

By Stanislav Sagelo
 
 
 
 
Frágil, tão frágil!
As asas maiores que a alma
e o vento que sopra,
que renasce das cinzas
e inunda de vida
por onde passa o seu passo
E passa… iridescente,
raiando o olhar
sobre pastos nunca antes
Imaginados.
 
 
Carlos Roberto

Sem comentários: