17.6.13

Dos abismos

deviantArt - I can Fly by x horizon
 

 
 
Levantas voo e vais. Vais como tantas vezes foste, com a promessa de não mais voltar. Moves-te por entre sombras e abismos, num corrupio imenso, intenso, irracional.
Já não vês, já não ouves, nem sequer sentes. Fria e distante, mergulhas sem dó na escuridão que julgas ser luz, bebes na sombra a seiva que te sustenta a alma, que envenena a lógica que tanto buscas, o destino de que teimas ser profe
ta.
Queria eu ser luz para o teu rosto iluminar e os teus olhos acender, o chão firme que pisas e trilhas em busca de ti mesma. Queria ser, nessa demanda, a mão que te segura e ergue dentro de mim.
Numa pequena frase, em segredo, te diria… que afinal, de todas as vezes que foste, nunca chegaste verdadeiramente a partir.

Carlos Roberto

Sem comentários: